Germinal – Educação e Trabalho

Soluções criativas em Educação, Educação Profissional e Gestão do Conhecimento

Biocana promove formatura do Programa Jovem Aprendiz Rural 11 de dezembro de 2012

20121207110728vWSVz9IHXk

O site da Biocana, divulga  a seguinte nótícia sobre o Aprendiz Rural, programa desenvolvido pela Germinal Consultoria para o SENAR de São Paulo.

Premiado, o Programa de Responsabilidade Social que é voltado para a qualificação profissional de estudantes com idades entre 14 e 18 anos forma novas turmas no dia 13 de dezembro

A escassez de mão de obra treinada e qualificada fez com que a Biocana (Associação de Produtores de Açúcar, Etanol e Energia) investisse, em 2008, na formação de jovens aprendizes rurais.

Na época, uma parceria com o SENAR (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) e o Sindicato Rural Patronal de Catanduva, SP, culminou na implantação do Programa Jovem Aprendiz Rural. Atualmente, após cinco anos, já são oito turmas e mais de 250 concluintes do curso. No próximo dia 13 de dezembro, outros 65 estudantes com idades entre 14 e 18 anos incompletos irão receber os certificados de conclusão do curso.

O Programa Jovem Aprendiz Rural criado pelo Governo Federal visa proporcionar ao jovem a educação profissional, básica e genérica necessária para o mercado de trabalho, em todas as atividades produtivas do meio rural, complementadas com o desenvolvimento das competências de empreendedorismo.

Como consequência permitirá realizar suas atividades de maneira a aumentar a produtividade, rentabilidade e competitividade do setor agroindustrial. São mais de 20 oficinas aplicadas. Além dos filhos de colaboradores das usinas associadas à Biocana, jovens de comunidades da região noroeste também integram as turmas.

A experiência do Programa também foi retratada no Livro ‘Vida de Instrutor’, do SENAR, onde a instrutora, Cláudia Bedaque Mugayar, relata a visita a um lar de idosos juntamente com o grupo de alunos. O case foi o único selecionado em todo o Estado de São Paulo para compor o material.

Para a diretora-presidente da Biocana, Leila Alencar Monteiro de Souza, o alcance social de iniciativas como esta é imenso. “Os resultados são surpreendentes. O Jovem Aprendiz Rural proporciona bem mais que a possibilidade de um futuro emprego através do aprendizado técnico, mas principalmente, auxilia na formação humana; um diferencial que reflete positivamente na carreira destes cidadãos. E formar pessoas é um dos pilares da entidade”, enfatiza.

Ao longo do curso, os estudantes aprendem sobre ação comunitária, oficinas sobre ética e cidadania; marketing e comercialização; promoção da saúde, comunicação oral e escrita. O programa também aborda técnicas de agropecuária, recuperação de áreas degradadas, manutenção de propriedade agrícola e gestão de recursos humanos.

Além destas, outras atividades monitoradas são realizadas por empresas parcerias da Biocana. Um exemplo foi a apresentação da Uniodonto sobre higiene bucal com posterior exames visando à prevenção de doenças. Este ano, o Programa também proporcionou ciclo de palestras feitas pela Unimed sobre correção postural, tabagismo, patologias, primeiros socorros, além de visitas às usinas que integram o Jovem Aprendiz Rural, ocasião em que foram abordados temas como alimentação saudável, mercado de trabalho, entre outros.

Anúncios
 

Programa Portal do Futuro abre mais 300 vagas em 2012 e interior ganha duas turmas 16 de julho de 2012

O site do Senac Rio, em 09 de julho de 2012 publicou a seguinte notícia sobre o Projeto Portal do Futuro.

Programa Portal do Futuro abre mais 300 vagas em 2012 e interior ganha duas turmas. Atento para o crescimento econômico, nos mega eventos e na atual demanda do mercado de trabalho no Estado do Rio de Janeiro, o Senac Rio oferece pelo programa Portal do Futuro a oportunidade para jovens de baixa renda e em risco social se prepararem para a primeira experiência profissional. Com aulas de cidadania e de inglês, e capacitação em cursos na área de hospitalidade, além de vivência profissional em uma empresa, o projeto social abre 300 vagas para quem tem entre 16 e 22 anos de idade.

As inscrições podem ser feitas de 9 de julho a 17 de agosto em uma das sete unidades do Senac Rio que receberão o Portal do Futuro. A novidade é que desta vez jovens de duas cidades do interior do Estado do Rio de Janeiro poderão participar. Serão abertas turmas nas unidades de Petrópolis e Resende.

Para participar, é necessário ter renda familiar per capita de até dois salários mínimos e cursar pelo menos o 1º ano do ensino médio. Na inscrição, o candidato deve apresentar originais e cópias dos seguintes documentos: RG, CPF, comprovante de escolaridade e de residência (menores de 18 devem apresentar, ainda, documentação do responsável). Após essa etapa, há um processo de seleção. As aulas começam no dia 27 de agosto.

O Programa
O Portal do Futuro existe desde 2000 e já formou mais de seis mil pessoas. O objetivo é atuar junto ao jovem para transformá-lo no convívio social e para a vida profissional. Esta é a primeira vez que o programa é exclusivamente direcionado para a área de gastronomia e turismo, e oferece, além da programação pedagógica, um curso de capacitação profissional. Em 2011, uma pesquisa do Senac Rio apontou que 97% dos alunos egressos do programa declararam ter percebido mudança em suas vidas profissionais.

Durante os sete meses do programa, os alunos têm 316 horas de aulas distribuídas em oficinas que compõem três projetos (Ser Pessoa, Ser Cidadão e Ser Profissional). Na primeira fase, atividades de autoconhecimento e reforço da autoestima auxiliam os jovens a traçar perspectivas concretas de futuro. Na etapa seguinte os focos são direitos e deveres, bem como o papel do indivíduo nas comunidades em que vivem. Na terceira fase, o aluno desenvolve competências pessoais e profissionais, como espírito de equipe, inovação, liderança e foco em resultados.

Após esta etapa, os jovens terão 160 horas de capacitação profissional no curso escolhido na área de hospitalidade. Para ficarem mais preparados para os eventos internacionais eles receberão 60 horas de aulas de inglês. Neste período, serão realizadas palestras com profissionais renomados e visitas guiadas a hotéis, agencias de viagens e bastidores de eventos. Por fim, o aluno passa por vivência em empresas para observar o cotidiano de trabalho ou podem já ser encaminhados para oportunidades de emprego pelo Click Oportunidades, programa do Senac Rio.

Mais informações pelo Disque Senac: 4002-2002

O Projeto Portal do Futuro, destinado aos jovens do Estado do Rio de Janeiro, foi desenvolvido como uma primeira e exemplar  aplicação da Proposta Pedagógica do Senac Rio. Tanto a elaboração da proposta quanto o desenho do Portal do Futuro contaram com o apoio da Germinal Consultoria. A experiência de elaboração da proposta e o currículo do Portal do Futuro estão registrados no livro A Construção da Proposta Pedagógica do Senac Rio. Para mais informações sobre a proposta pedagógica, o livro e o Portal do Futuro, clique aqui.

 

Projeto Trilha Jovem 28 de junho de 2012

 

O Projeto Trilha Jovem nasceu de uma proposta curricular desenvolvida, em 2001, pela Germinal Consultoria para o Instituto de Hospitalidade (IH), de Salvador, na Bahia.

Essa primeira versão foi alterada pelo IH nas primeiras implementações, em 2004. Depois, em 2006, a versão original e a inicialmente implementada foram fundidas na versão atual, que ganhou dimensão nacional. A Germinal contribuiu nesse trabalho.

A partir da crítica, sistematização, reformulação e ampliação dos planos de aula utilizados nas primeiras implementações, a Germinal criou também as Referências para a Ação Docente (Eixos I, II e III), que são manuais que apresentam sugestão, passo a passo, de desenvolvimento de todas as unidades curriculares do Projeto. As Referências para a Ação Docente facilitam e são fundamentais na manutenção da qualidade  da expansão nacional do Projeto.

 

 

Programa “Jovem Aprendiz Rural” inicia turma em Sertãozinho 6 de abril de 2012

03/04/2012 – 11:53h

 Autoridades municipais estiveram presentes na aula inaugural do programaAutoridades municipais estiveram presentes na aula inaugural do programa

Aula inaugural aconteceu nesta terça-feira

Lívia Palmieri
Com nova parceria, o programa “Jovem Aprendiz Rural” atende desde segunda-feira (02)  35 jovens da EMEF “Profª Marilena Arantes Meneghini” – CAIC e das Escolas Estaduais “Profª Maria Conceição Magon” e “Profª Anna Passamonte Balardin”. A aula inaugural aconteceu na tarde desta terça-feira (03), na Escola de Educação Ambiental “Clóvis Badelotti”, no Parque Ecológico “Gustavo Simioni”.
Para Nério, a administração tem uma grande parcela de responsabilidade na educação dos jovens da cidade. “Vocês vão ter uma oportunidade de descobrir um mundo diferente e vão ver como é bom lidar com a natureza, com respeito e preservação”, incentivou o prefeito Nério Costa.
O programa já formou duas turmas no distrito de Cruz das Posses, em parceria entre  Prefeitura Municipal, o Sindicato Rural e a Usina Albertina. Agora, com a Destilaria Santa Inês como parceira, o curso deu início a primeira turma em Sertãozinho.
“É uma satisfação muito grande de nossa escola poder recebê-los”, deu as boas vindas a Diretora do Departamento de Educação Ambiental e responsável pela escola “Clóvis Badeloti”, Anna Paula Favaretto.
Para receber os alunos, estiveram presentes, além do prefeito Nério Costa, os parceiros Juliano Henrique Bernardi, representante do Sindicato Rural, e a diretora da Destilaria Santa Inês, Cláudia Tonielo.
“Vocês têm uma oportunidade que poucos tiveram. Esse curso serve para mostrar como se portar no dia a dia. É voltado para a agricultura, mas é especialmente feito para formar cidadãos”, disse Bernardi aos alunos.
Segundo Cláudia Tonielo, a Viralcool em Viradouro, outra empresa do Grupo, está com duas turmas de 35 alunos do “Jovem Aprendiz Rural”. “Essa oportunidade é singular. Vocês são meninos de sorte. Desejo que vocês aproveitem o curso e que, mais pra frente, aproveitem em seus currículos e na vida”, pontua a empresária.
A secretária de Educação e Cultura, Maria Dirma Bononi Francisco, afirmou que o poder público tem a preocupação de formar cidadãos com valores e isso está presente em programas como o “Jovem Aprendiz Rural”. “Uma parceria como esta dignifica qualquer poder executivo”, afirma a secretária.
De acordo com a estudante Carla Hereman Lopes de 14 anos, os adolescentes que estão envolvidos com o projeto estão pensando no futuro e apostando as fichas neste curso, declarou a jovem que pretende fazer faculdade de Química

 

LETRAMENTO DIGITAL 6 de fevereiro de 2012

A Germinal Consultoria desenvolveu, em parceria com o Senac Rio, um projeto destinado à inclusão digital de pessoas com dificuldades de leitura e escrita, objetivando, ao mesmo tempo, ampliar as competências de ler e escrever dessas pessoas com o uso do computador.

A população alvo do Projeto é a que está incluída no nível mais elementar de alfabetismo (nível 1), do Índice Nacional de Alfabetismo Funcional (INAF), criado pela Ação Educativa e pelo Instituto Paulo Montenegro (IBOP). “O nível 1 de alfabetismo corresponde à capacidade de localizar informações explícitas em textos muito curtos, cuja configuração auxilia o reconhecimento do conteúdo solicitado.[1]”.

Ilustração de Mariana Massarani

Livro Navegar é Preciso

A inclusão digital da população com dificuldade de leitura e escrita é um desafio metodológico. Em geral, as propostas de inclusão digital utilizam métodos que pressupõe o ler e escrever com um mínimo de desenvoltura. Assim, a população alvo do Projeto se defronta, no interior das propostas usuais de inclusão digital, uma forma sutil de exclusão: a didática. O seu fracasso no domínio da tecnologia deriva da proposta pedagógica dos programas de iniciação à informática, centrada na leitura e na escrita, e não de sua incapacidade de dominar os comandos que lhe dariam acesso aos recursos e benefícios da nova tecnologia.

O primeiro levantamento do INAF, em 2001, indicou que, na população brasileira, cerca de 70% dos que estão incluído no nível 1 da alfabetismo tem entre um e quatro anos de escolaridade. A inclusão digital da população com escolaridade entre um e quatro anos e o desenvolvimento da capacidade de ler e escrever dessa população são os objetivos centrais do Projeto Letramento Digital. O projeto se justifica pela ausência de qualquer outro programa de inclusão digital especificamente destinado a esta população. Uma população que é constituída por cerca de quarenta milhões de brasileiros. Destes, segundo o INAF, em 2004, apenas 4% usavam de alguma forma o computador

No desenho metodológico do projeto Letramento Digital buscou-se superar a dificuldade de leitura e escrita e transformá-la de empecilho em objeto de desenvolvimento educacional. Procurou-se favorecer uma aproximação à informática em que a leitura e a escrita fluentes não fossem requisitos, mas competências a serem desenvolvidas simultânea e sinergicamente ao domínio das competências de navegação e operação de aplicativos.

Procurou-se, além disso, que o interesse no domínio da informática fosse instrumento de uma nova aproximação da leitura e da escrita, que facilitasse a superação da sensação de incompetência e de traumas derivados de mal sucedidas experiências escolares anteriores. O objetivo de recuperar a auto-estima e a vontade de voltar a estudar dos participantes esteve presente desde as formulações iniciais do projeto.

Para ao atendimento simultâneo dos objetivos de inclusão digital, desenvolvimento das competências de ler e escrever e de retorno aos estudos, foi necessário um desenho metodológico inovador e o desenvolvimento de recursos didáticos de suporte, adaptados à metodologia e à diversidade dos objetivos em jogo.

Foi criado um Software específico para possibilitar que todas as atividades didáticas fossem desenvolvidas e controladas com o uso do computador, considerado como o recurso didático fundamental. Além do controle do ambiente de informática, o software inclui um Livro Eletrônico de Leitura, contendo os textos que serão utilizados no projeto; DICIONÁRIOS de vários tipos; e um recurso de Ajuda, contendo a versão eletrônica de um Livro de Informática, denominado Navegar é Preciso, que depois é distribuído para os participantes em forma impressa.

O software inclui um arquivo de imagens onde estarão disponíveis, em formato eletrônico, os Painéis que ambientarão o espaço de aprendizagem, caracterizando as diferentes etapas do Projeto. Uma pasta com Jogos para o desenvolvimento das competências de ler e escrever. Finalmente, o software inclui o BATE-PAPO, um chat para troca de mensagens on line.

O conjunto dos recursos criados para o Projeto é complementado pelo manual de operação do Projeto Letramento Digital. Destina-se a orientar a ação das instituições parceiras e dos coordenadores (docentes) no desenvolvimento do Projeto. Para uso das instituições parceiras, o texto define e especifica as competências que serão desenvolvidas, descreve a metodologia utilizada, apresenta a estrutura curricular, indica a infra-estrutura necessária, especifica a configuração dos equipamentos de informática e apresenta a perspectiva de avaliação do Projeto.

O cerne do manual, no entanto, interessa especialmente ao docente que será o coordenador das atividades de aprendizagem de Letramento Digital. Trata-se da descrição de uma proposta desenvolvimento das atividades educacionais do Projeto, etapa a etapa, sessão de aprendizagem a sessão de aprendizagem (aula a aula), passo a passo. Um roteiro de orientação das atividades docentes dentro do ambiente de aprendizagem, do início ao fim do projeto.

As definições pedagógicas fundamentais, os recursos criados e o roteiro foram testados entre 2003 e 2005 em inúmeros grupos e em diversificadas circunstâncias. Em todos os grupos, o Projeto mostrou-se eficaz na inclusão digital, no aprimoramento da capacidade de leitura e escrita e no incentivo à continuidade de estudos. As falhas observadas nos grupos experimentais e nas versões originais foram sistematicamente registradas. Esses registros orientaram reformulações e substituições de atividades de aprendizagem que foram consideradas menos adequadas. Este trabalho de revisão deu origem às definições pedagógicas e ao manual defenitivo.

O manual está redigido no formato de uma peça de teatro. A escolha não foi aleatória ou por motivo de sofisticação de estilo. O formato foi escolhido por suas ressonâncias simbólicas. O teatro evoca um ambiente criativo e requer a criatividade de todos os envolvidos na produção do espetáculo teatral. A peça escrita pelo dramaturgo é interpretada criativamente pelo diretor de cena, pelos atores, cenógrafos, iluminadores… Embora a orientação dada pelo texto original possibilite o reconhecimento da obra teatral, cada espetáculo singular é o resultado da criatividade de seus realizadores na relação com um público específico. Neste sentido, cada montagem e cada espetáculo são únicos e irreproduzíveis.

Ao adotar o formato do drama, espera-se que efeito similar ao do teatro seja obtido em cada implementação do Projeto Letramento Digital. O roteiro, embora detalhado e específico, deve ser uma orientação básica que provoque e estimule a criatividade de indivíduos, instituições e grupos autônomos e independentes de realizadores.

 

O manual, desta forma, cumpre um papel decisivo na estratégia de difusão do Projeto Letramento Digital. A sua ambição é proporcionar, articulando o conjunto de recursos didáticos, todas as informações e orientações que possibilitem que uma organização, grupo ou pessoa possa, independentemente de orientação ou vinculação institucional, reproduzir o Projeto em qualquer local do país que disponha dos recursos e dos equipamentos de informática que são fundamentais no seu desenvolvimento.


[1] Vera Masagão Ribeiro, Letramento no Brasil, São Paulo, Global Editora, 2003, p.16. Numa concepção distinta, os incluídos na população em questão são considerados analfabetos funcionais.

 

Abertas as inscrições para o ‘Jovem Aprendiz Rural’ 4 de novembro de 2011

O Jornal Cruzeiro do Sul de Itapetininga (São Paulo) publicou a seguinte notícia sobre o Jovem Aprendiz Rural, programa desenvolvido pela Germinal Consultoria para o SENAR/SP:

Jovens com idades entre 15 e menos de 18 anos já podem se inscrever para o programa ‘Jovem Aprendiz Rural 2012’, que começará em março do ano que vem em Itapetininga. As inscrições vão até dezembro. Ao todo, são 35 vagas e será dada preferência aos interessados que residam nos bairros Jardim Monte Santo e Chapada Grande. No Estado de São Paulo, mais de 70 cidades realizam o Programa Jovem Aprendiz Rural. Em Itapetininga, a ação socioprofissional é promovida por meio de uma parceria entre o Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural), Sindicato Rural de Itapetininga e a Associação Anália Franco.

O curso tem duração de 600 horas/aula, divididas em 150 dias. O objetivo do programa é oferecer educação profissional ao jovem aprendiz, capacitando-o ao mercado de trabalho rural. No conteúdo programático, constam os seguintes tópicos: projeto de ação comunitária, oficinas de ética e cidadania, promoção à saúde, comunicação oral e escrita, projeto profissional, atendimento ao cliente, trabalho em equipe, tecnologia da informação, projeto articulador de tornar sustentável uma área produtiva, empreendimento agrícola e estudos de gestão de recursos humanos, entre outros.

 

PRODUÇÃO DE HUMOS – MINHOCÁRIO 8 de setembro de 2011

Uma das propostas da Oficina de Tecnologia da Informação do Programa Jovem Aprendiz Rural é a criação de um  blog para cada turma de aprendizes. O Manual do instrutor e do participante do Programa deixa em aberto qual deve ser o conteúdo do blog e a forma como os alunos devem participar de sua construção.

O Programa Jovem Aprendiz Rural de Ribeirão Bonito (SP) desenvolveu uma proposta interessante de conteúdo e de forma de participação dos alunos. Cada aluno relata e ilustra o desenvolvimento de unidades temáticas do curso. Para exemplificar, reproduzimos o relato e as ilustrações do aluno Clemerson sobre a produção de humos. Relatos e ilustrações sobre outras unidades do curso podem ser encontradas clicando aqui.

PRODUÇÃO DE HUMOS– MINHOCÁRIO – ÁREA EXPERIMENTAL – PROGRAMA JOVEM APRENDIZ RURAL – 2011 – (Clemerson)

O nosso minhocário foi feito em forma retangular de bambu no chão, com medidas 1×2 metros. Foi utilizado somente bambu e arame para construí-lo.
Depois de pronto o minhocário colocamos esterco e molhamos e colocamos minhocas do tipo Califórnia para que elas começassem a produzir humos.
O humos é uma espécie de adubo orgânico. Você poderá produzi-lo para uso na sua produção agrícola particular ou para comercializar.
As minhocas são encontradas nas Cooperativas Agrícolas. Você poderá comprá-las para recriar ou vender. Caso não conte com a possibilidade de ter as minhocas, poderá iniciar uma produção com os ovos das próprias minhocas.
Postado por Jovem Aprendiz às 06:02
 

 
%d blogueiros gostam disto: